defendemos o fumante, não o fumo: 
quer parar de fumar ou reduzir?
 

polêmica - "fumo passivo"
o perigo das lareiras

A fumaça de madeira é uma mistura complexa de substâncias produzidas durante a queima da madeira.

 

As maiores emissões de fogões a lenha são monóxido de carbono, gases orgânicos (que contém carbono ou derivados de organismos vivos), partículas de matérias e óxidos de nitrogênio.

 

A fumaça de madeira contém muitos compostos orgânicos cancerígenos (como benzopirenos, dibenzantracenos e dibenzocarbazoles), e outros componentes tóxicos (aldeidos, fenóis ou cresóis).

 

A fração de partículas é composta por compostos orgânicos sólidos ou líquidos, char carbono (similar ao carvão) e cinza inorgânica. Este folheto indicado pela EPA (Agência de Proteção Ambiental - a mesma que do estudo sobre fumo passivo) mostra os efeitos exposíção à fumaça de madeira (fogões/fornos a lenha, churrasqueiras, lareiras). As lareiras a lenha foram proibidas há muito tempo na Grã Bretanha.

 

Este folheto, também indicado pela EPA, diz que a fumaça de uma lareira acesa por 1 hora produz fumaça tóxica com 4300 vezes mais elementos cancerígenos do que aqueles produzidos por 30 cigarros.

 

Matéria publicada no jornal A FOLHA DE SÃO PAULO em 31/05/2011 diz:

"Além do fumo, exposição à poluição e à fumaça de biomassa (como fogão à lenha) são fatores de risco. "O fumo, inclusive o fumo passivo, acaba sendo um fator de risco mais importante", diz Meirelles."

 

A população já se encontra "protegida" contra os fumantes. Um alerta como este, minimiza os efeitos adversos à saúde devido à queima de biomassa. A população dentro de casa e funcionários de pizzarias e churrascarias deveriam ser o próximo alvo das autoridades.

 

Atenção: Os artigos do Eufumo não tem a intenção de fornecer recomendação médica, diagnóstico ou tratamento.